A minha visão sobre: relacionamentos

Relacionamentos são simples, as pessoas é quem são complicadas. Quando alguém inicia um relacionamento com outra pessoa, o erro principal que ambos cometem é achar que estão conhecendo um ao outro. Por que? Ora, porquê como seres humanos, sempre estamos à procura de defeitos em nosso próximo, mas nunca em nós mesmos e isso acaba gerando um problema frequente na maioria dos relacionamentos: o querer que o outro mude.

Portanto, creio que ao iniciar um relacionamento é necessário pensar que você está nele para conhecer a si mesmo, seus gostos, seus próprios costumes, sua personalidade. O resultado, se este novo relacionamento vai dar certo ou não, fica claro quando você conhece a si mesmo e sabe o que realmente quer. Porquê a partir do momento em que você deseja que o outro mude, o objetivo principal de um relacionamento já deixou seu rumo, que é o amor.

Seria, então, egoísmo de nossa parte desejar que o outro mude apenas para se encaixar nas nossas diferenças. Uma das frases que mais gosto de Jim Morrison, poeta e ex-vocalista da banda The Doors, é: Isso é o que corresponde ao verdadeiro amor: deixar a pessoa ser o que ela realmente é. Ou seja, tudo o que for além disso, não deveria ser considerado como verdadeiro amor.

Não estou dizendo que mudanças não vão ocorrer; elas ocorrerão, óbvio, sempre estamos mudando. Mas o verdadeiro absurdo está no fato de alguém provocar essas mudanças à força ou de forma mal intencionada. Isso não é nem um pouco saudável, pois cada um tem o seu próprio tempo. Nossas mudanças consistem em metamorfoses, estamos sempre evoluindo e nunca deixaremos de ser nós mesmos. O dia de cada um alcançar uma nova forma, ou um novo florescer, não tardará.

Mas como eu disse antes, você está em um relacionamento para conhecer a si mesmo. Então pergunte-se: “por que eu não gosto da atitude dele(a)? Será que ele(a) é realmente o problema?” É óbvio que quando você tem algum problema com alguém, esse problema é inteiramente seu. Isso pode até parecer um pensamento “bukowskiano“, mas é o que a maioria não é capaz de enxergar. Hermann Hesse, um escritor alemão, certa vez escreveu: Se você odeia alguém, é porquê odeia alguma coisa nele que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos perturba.” Fica mais do que claro que aqueles que exigem mudanças estão errados. Aqueles que exigem mudanças devem ser capazes de mudar a si mesmos e respeitar nos outros o que não faz parte deles.

Hermann Hesse ainda escreveu: Quando se gosta de alguém, gosta-se apesar de suas falhas. Quando se ama alguém, ama-se com a suas falhas.Em um relacionamento um par deve encarar o óbvio: ambos são obrigados a aceitar um ao outro como eles realmente são, sem questionamentos e muito menos sem encarar como ameaça o que não faz parte de algum deles. Mas é difícil para um ser humano nessas ocasiões deixar o falso orgulho de lado e se render à paz real que um relacionamento deveria trazer. E são esses metidos a orgulhosos que mais causam os verdadeiros problemas.

Advertisements

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s